window.lintrk('track', { conversion_id: 13086145 });
top of page

IA pode gerar aumento nas vendas com previsão de interesse dos consumidores

Você, ao ouvir falar sobre as previsões da inteligência artificial, com certeza já imaginou 1001 maneiras de utilizá-la a seu favor. A possibilidade de prever o que os consumidores querem existe, e já está em alta entre as empresas.

Muitos se perguntam, como empresas de vendas como a Amazon, conseguem realizar entregas tão rápidas, velozes o suficiente para estar no carrinho num dia, e na porta de casa no outro. Isso, sem falar na precisão com que fazem indicações de compras e sugerem um item que já era do seu interesse há um tempo. Bruxaria ou Pacto? Longe disso, inteligência artificial e análise de dados!


Previsão com dados


Tem gente que joga com os dados para brincar com a sorte, em nosso caso a sorte não tem um papel de tamanha importância. A ciência de dados é séria e trabalha com exatidão, com um manuseio inteligente de dados básicos é possível traçar perfis de comportamento e dividir o público em segmentos. A partir disso, é só definir o melhor plano estratégico de vendas e observar os números, eles serão o início para a criação de uma base de informações e também o indicativo de que o resultado foi proveitoso.


Isso é possível graças ao avanço da inteligência artificial e Machine Learning (aprendizado de máquina), somadas elas serão aliadas na busca e armazenamento dos dados necessários para a construção das bases que alimentam as estratégias. Ou seja, sabendo por exemplo, que o interesse por produtos de ginástica e academia cresce em uma região, seria mais fácil mapear o interesse futuro de usuários que se encontram na mesma região, e quando você menos espera, o tênis perfeito aparece na timeline de sua rede social predileta.


Aplicação prática


Recentemente, a Cinnecta LTV, uma plataforma de indicação de ações, constatou por meio de análise de dados inteligente, que os consumidores digitais estão mais propensos a fazerem investimentos, esses representam 43% dos investidores. Eles conseguiram números ainda mais específicos, os indicativos mostram que cerca de 23,8% está para cartões de varejo, e 21,9% para e-commerce.


A resolução foi possível graças a detecção de perfis e mapeamento de clientes digitais, através da análise de comportamento dos consumidores. A partir desses indicativos, a Cinnecta pode auxiliar outras empresas no direcionamento de marketing assertivo, com uma definição mais precisa do público alvo. E tudo isso utilizando alguns dados simplórios que podem passar desapercebidos da maioria (classe social, perfil familiar, preferência por bancos tradicionais, interesse por viagens etc.), mas que fazem diferença para a ciência de dados.



A chance de mudar e evoluir está expandindo, mas o primeiro passo quem dá é você! Que tal ter uma ajuda especializada? Faça agora mesmo sua consultoria.💙


Comments


bottom of page