window.lintrk('track', { conversion_id: 13086145 });
top of page

Posts do fórum

gisele.santos
05 de fev. de 2023
In Power BI
Alguma vez você já desenvolveu algum projeto que achou que ficou incrível e quando apresentou para o cliente final, teve que refazer praticamente tudo novamente? Se sim, acredito que deve ter sentido uma enorme frustração! Nesse artigo, a dataholic Gisele Leitão vai apresentar uma maneira muito eficiente de evitar esse tipo de situação. Através do Design Thinking! Boa leitura! O que é Design Thinking? É um modelo de pensamento que vai além da necessidade de criar um produto ou serviço. É um contínuo processo exploratório e iterativo para obtenção de insights afim de resolver problemas ou gerar inovações. O Design Thinking pode ser aplicado em vários cenários, mas nesse artigo vamos abordar a aplicação no processo de desenvolvimento de dashboards! O design, por sua essência, tem a capacidade de equilibrar um projeto sobre três pilares: Desejabilidade, Viabilidade e Praticabilidade. Figura 1: Pilares do Design Thinking. Esse é o primeiro estágio do processo de design. Costuma se referir à identificação das restrições mais importantes e à definição de critérios para a sua avaliação. Um design thinker tem a missão de colocar esses três pilares em harmonia. Processos do Design Thinking: O processo de design thinking é dividido em quatro etapas: Imersão, Ideação, Prototipação e Desenvolvimento. Figura 2: Processos do Design Thinking. Imersão Nessa etapa, entendemos qual é o cenário, observando e coletando dados e informações. É aqui que fazemos entrevistas com os usuários para entender como são seus processos de análises, suas prioridades e suas expectativas. Ideação Durante a ideação, é a hora de buscar ideias que possam se tornar soluções para os usuários. Nessa etapa é crucial que o designer enxergue além do que se vê. Ou seja, que observe de forma minuciosa as reais necessidades do usuário para que possa propor soluções realmente eficazes. Prototipação Essa é uma das etapas mais importantes para o sucesso de um projeto, a criação de um protótipo! Para testar as ideias com o usuário, antes de finalizar a execução. Com isso, é evitado gastos desnecessários e retrabalhos futuros. Quanto mais rapidamente tornamos nossas ideias tangíveis, mais cedo poderemos avalia-las, lapidá-las e identificar a melhor solução. A meta da prototipagem não é criar um modelo funcional. É dar forma a uma ideia para conhecer seus pontos fortes e fracos e identificar novos direcionamentos para o projeto. O escopo de um protótipo deve ser limitado. O objetivo dos protótipos iniciais deve decidir se uma ideia tem ou não valor funcional. Mais cedo ou mais tarde, os desenvolvedores precisam apresentar o protótipo aos possíveis usuários do dashboard final para obter seu feedback. Quando se trata de prototipagem de dashboards, é possível utilizar softwares para prototipagem, como o Figma ou Adobe XD, por exemplo. Ou se precisar de um esboço rápido, papel e caneta será o suficiente. Figura 3: Protótipo de Dashboard feito em um software. Figura 4: Protótipo de um gráfico feito à mão. Desenvolvimento É o momento onde as expectativas já foram alinhadas, e o projeto sai do papel, colocando-o em prática. É nessa etapa também que os conceitos de Storytelling são aplicados, deixando o dashboard ainda mais funcional. Pensar como um designer pode ser justamente o que está faltando para que se entregue o valor que gostaria aos seus usuários e clientes. Fazer uma imersão pelo mundo deles e entender que necessidades, desejos e expectativas eles realmente têm, pode tornar o projeto mais humano e desejável, gerando uma experiência incrível e evitando frustrações de ambos os lados.
Aplicando Design Thinking no desenvolvimento de Dashboards. content media
2
0
187

gisele.santos

Mais ações
bottom of page