window.lintrk('track', { conversion_id: 13086145 });
top of page

9 benefícios da utilização dos dados para análise e planejamento financeiro




A integração das informações de Planejamento Financeiro e Análise (a partir daqui referido como FP&A) à operação através da Engenharia de Dados se mostra importante na sinergia que se pode criar entre o financeiro e as demais áreas, para que os tomadores de decisão possam ter acesso a informações financeiras em tempo real. Isso permite um alinhamento maior entre as estratégias operacionais e os objetivos financeiros da companhia. 


Dessa forma, a empresa consegue extrair dos dados mais embasamento para um planejamento estratégico, pois permite que as diferentes ações estratégicas operacionais com suas respectivas implicações financeiras sejam identificadas de forma clara e ágil, facilitando a tomada de decisão. 


Um approach unificado garante que as iniciativas operacionais estejam de acordo com as metas financeiras da organização. Este alinhamento é crítico para que sejam alcançados os objetivos de crescimento de longo prazo e lucro. 


Os principais valores gerados a partir desse esforço são: 


  1. Tomadas de decisão mais assertivas Quando FP&A e Operação trabalham a partir de uma fonte única e confiável de dados, tem o poder de gerar uma visão clara das capacidades operacionais da organização. Isso leva a tomadas de decisão mais bem informadas, porque as considerações financeiras são integradas à realidade operacional.  

  2. Insights em tempo real  Integrar os dados de FP&A e Operação permite que tomadores de decisão tenham acesso às informações em tempo real, reduzindo o tempo de resposta. Essa velocidade da informação pode gerar oportunidades de redução de custos e despesas em determinadas ocasiões.

  3. Aumento de acurácia nas projeções financeiras  A Operação pode prover insights detalhados sobre capacidade produtiva, lead time e disponibilidade de recursos. Quando essas informações são integradas ao forecast, leva a predições financeiras mais acuradas e as projeções financeiras passam a ser baseadas nas performances operacionais mais recentes, aumentando a relevância do forecast no dia a dia da operação.

  4. Otimização de alocação de recursos  Com uma metodologia de análise unificada, recursos podem ser alocados com base tanto em restrições financeiras quanto na capacidade operacional. Isso garante que os investimentos estejam alinhados aos objetivos estratégicos da organização.

  5. Controle de Custos e Eficiência  Através de um monitoramento efetivo de processos operacionais e seus custos associados, o time de FP&A pode identificar oportunidades de melhorias de processo e redução de custos. Essa sinergia pode levar a operações mais eficientes e com melhor controle de custo.

  6. Métricas de performance e KPIs  Combinando métricas financeiras e KPIs operacionais, a organização ganha uma visão mais holística de sua performance. Métricas e KPIs empoderam o tomador de decisão com uma clara análise dos resultado de decisões tomadas anteriormente e lança luz sobre as possibilidades futuras.

  7. Mitigação de risco   Unificar FP&A e Operação permite uma avaliação de riscos mais coerente com a realidade. Riscos financeiros (como flutuações de mercado) e riscos operacionais (como interrupções na cadeia de suprimentos) podem ser avaliados em conjunto, permitindo estratégias de mitigação de risco mais robustas.

  8. Comunicação e Colaboração  Quando os times de FP&A e Operação trabalham próximos, com boa comunicação e colaboração, gera compreensão compartilhada dos objetivos.

  9. Agilidade e Adaptabilidade  Em um ambiente de negócio que muda drástica e rapidamente, a habilidade de ajustar estratégias e operação baseada em insights financeiros confiáveis é crucial.


Por que preciso de dados? 

Tomar decisões orientadas por dados as torna mais assertivas, porque passam a ter a força de evidências concretas, em vez de apenas intuição sentimentos. 


  • Tomada de decisão baseada em dados; 

  • Previsão e Orçamento; 

  • Avaliação de Performance; 

  • Avaliação e Controle de Risco; 

  • Alocação de recursos; 

  • Controle e otimização de custos; 

  • Compliance (conformidade); 

  • Planejamento estratégico; 

  • Comunicação com stakeholders. 

Para entender melhor: 


Financial Planning (Planejamento Financeiro) 


FP significa planejamento financeiro e é o fundamento que garante sustentabilidade para tomadas de decisão que impulsionam a empresa a objetivos corporativos mitigando os riscos financeiros. 

Um plano bem construído permite que os tomadores de decisão enxerguem com clareza a alocação dos recursos de forma eficiente, para que cada centavo investido esteja ligado aos objetivos estratégicos. Esse nível de comprometimento na alocação de recursos não apenas leva à redução de custos, mas a uma cultura de transparência para a organização. 


Analytics 


Analytics, ou seja, a análise de dados, é o primeiro multiplicador do poder do planejamento financeiro. 

Se o planejamento é o que traz sustentabilidade, a análise de dados é o que vai munir as decisões estratégicas para que os objetivos sejam alcançados. 

Através da análise de indicadores chave de performance (KPIs), tomadores de decisão ganham informações valiosas para definir estratégias que façam a empresa avançar para seus objetivos. 

A qualidade da análise é o que vai alimentar as decisões que determinarão o sucesso da estratégia quando o plano sair do papel. 


Dados confiáveis (Governança de dados) 


Governança de dados em finanças corporativas é essencial para garantir acurácia, confiança e compliance dos dados financeiros. Suporta decisões suportadas por dados, reduz riscos e contribui para um sucesso sustentável da companhia. 


Para saber mais sobre casos de aplicação de #dados, entre em contato com um dos especialistas Dataside! 

Comments


bottom of page