Inteligência Artificial – Um grande salto para as empresas

Ficar na zona de conforto pode significar estar acomodado, seja à uma situação, posição, lugar ou à uma maneira de agir perante qualquer cenário. No entanto, na maioria dos casos o comodismo impede o crescimento e expansão, já que para tais realizações a inovação é essencial.


A I.A como escapatória da zona de conforto


Não há como pensar em inovação sem mencionar tudo o que a tecnologia tem proporcionado. Pode parecer irônico falarmos sobre não se deixar acomodar diante de um mundo regido pela seguinte frase: “Faça tudo sem sair de casa, e sem se levantar do sofá”. Mesmo assim, é necessário olhar o que está além das novas maneiras de comunicação, ou melhor o que está por trás do novo olhar que temos do mundo.


Se hoje transferimos dinheiro, recebemos pagamentos e pagamos qualquer fatura sem enfrentar uma fila, é graças a automatização dos serviços bancários. É impressionante o quão eficiente pode ser o resultado que uma empresa tem, após optar por uma mudança mínima como a instalação de um ChatBot para agilizar os serviços. O comodismo não está em tornar as coisas mais práticas, mas sim em se conformar com resultados que poderiam ser melhores com diferentes ações estratégicas.


Essa é apenas uma maneira pela qual podemos enxergar o andamento da Inteligência Artificial em empresas, mas as possibilidades são ilimitadas, graças a incessante busca pelo avanço tecnológico. Hoje, não nos chocamos ao saber que existem mercados completamente autônomos e inteligentes, guiados por uma I.A que mais tarde pode significar uma revolução para o mercado de vendas. No entanto, para que tal feito fosse possível, alguém teve que desafiar-se ou ser desafiado a alcançar essa inovação. Exemplos como a Zaitt, primeira loja autônoma da américa latina, já são realidade e podem estar mais perto do que se imagina, e você pode estar entre eles no futuro.


Não é necessário ser grande para dar grandes saltos


Grandes saltos só dependem do quão disposto você está a encarar um desafio de frente, e repensar a maneira pela qual vai ultrapassá-lo. Se o consenso é de que somente as grandes empresas devem se preocupar com investimentos tecnológicos como big data, advanced analytics e ferramentas da I.A, esse é mais um senso comum desgastado e falso. Grandes, pequenas e médias empresas devem ter sua parcela de investimento que coincida com seu faturamento, na área tecnológica, afinal para se tornar referência em um ramo não se pode esperar que o título caia em mãos, e mesmo já sendo consagrado na área, o mercado está em constante movimentação e quem não se atém às tendências é esquecido pelos consumidores.


Tecnologias como machine learning, automatização de processos, análise de dados e outras dentro do espectro da I.A, são as mais presentes na participação das invenções que ajudam empresas a se tornarem impérios. As empresas que mais crescem hoje têm amparo em profissionais que dominam e sabem utilizar a I.A a seu favor, justamente por isso surgem empresas como a Dataside, que leva a sério a responsabilidade de oferecer ao mercado, profissionais qualificados e capazes de dar o melhor uso possível aos dados. Olhar para os dados é olhar para o futuro, e para o sucesso de qualquer companhia que se dedique a conhecer as soluções que a I.A é capaz de oferecer.


A prova que os empresários precisam está exposta em números: De acordo com a quinta reportagem da série Economia Digital da CNN, o número de bots no Brasil cresceu 68% em apenas um ano, a estimativa de movimentação financeira do setor tecnológico para o resto da década é de US$ 260 bilhões. Ou seja, já existem prós suficientes para sair do óbvio e tirar proveito do atual cenário.


Aplicação prática da I.A



Existem muitas maneiras de se aplicar uma inteligência artificial à um serviço, as câmeras de reconhecimento facial por exemplo, que estão presentes na maioria dos filmes de espionagem, podem sair das telas para uma aplicação inteligente em uma loja de departamento ou em qualquer outro tipo de comércio. Elas podem ser usadas para identificar clientes frequentes, além de recolher e guardar melhor os dados sobre cada consumidor, otimizando o serviço e deixando o atendimento mais dinâmico e personalizado, já que permitirá que sejam oferecidos os devidos serviços que mais podem ser atrativos para cada cliente.


A I.A pode gerar previsões sobre quais serão os produtos mais demandados em um determinado período, e assim impedir que eles faltem para a entrega ao gerar um alarme para que eles sejam comprados. Além de ser útil para mapear e localizar de onde vêm as principais demandas para cada produto, tornando possível a melhor preparação para períodos de alta nos pedidos.


A inteligência artificial aplicada juntamente à ciência de dados, pode maximizar a produção ao direcionar as ações dos gestores para o que necessita de mais prioridade, livrando-os de se ater a todos os detalhes e perder tempo com o que pode ser feito por outra pessoa ou pela própria I.A.



Gostou desse conteúdo? Fique por dentro do mundo de Business Intelligence e muito mais, acompanhando nossos artigos e nossas redes sociais!💙🦾